Marketing não é o único departamento a usar dados de consumidores

Os dados que os profissionais de marketing acumularam sobre os consumidores estão se tornando cruciais para tomar decisões em um nível muito mais amplo dentro das empresas.

Uma das chaves para o sucesso de ações de marketing e comunicação nos últimos tempos, são as informações sobre os consumidores. Os gerentes de marketing entraram no reinado de dados e começaram a se posicionar na corrida para acumular mais e mais referências sobre seus consumidores, seus produtos e mercados.

Eles querem oferecer as mensagens certas e se conectar com o público certo, para isso precisam conhecer o terreno em que se movem. Portanto, a informação é essencial e, acumular dados e mais dados se tornou uma das principais questões de seu trabalho.

Estamos na era do Big Data, no momento em que as ferramentas tecnológicas e informações relacionadas aos consumidores são parte indispensáveis na vida diária dos profissionais de todos os setores das empresas, sejam essas indústrias, comércio ou serviço. Chegamos ao ponto onde se discute o impacto desta relação intensa entre dados, marketing, publicidade e operação usam das mesmas ferramentas e informações para gerar uma experiência melhor no final de tudo.

Mas a verdade é que as informações que os gerentes de marketing acumulam em seus departamentos podem ter muito mais uso do que simplesmente ajustar suas estratégias de comunicação. O potencial dessas informações é muito maior e abrange muito mais áreas do que simplesmente comunicação, afinal, marketing em sua essência é o todo, desde o desenvolvimento da ideia até o momento final do consumo. A gigante base de dados do departamento de marketing podem ter um impacto direto na linha de navegação geral da empresa.

É o que nos lembra um estudo condizidos pela Medallia e a Ipsos, em uma amostra americana. Os consumidores, eles apontam, hoje em dia têm expectativas muito altas sobre marcas e empresas quanto interagem com elas, e essas expectativas só podem ser atendidas quando há um ponto de partida muito completo e uma base de muitas informações sobre as quais pode operar.

O que os consumidores então procurando

O que os consumidores estão procurando agora é o que eles consideram crucial. E o que é crucial na expectativa dos clientes? De um modo geral, pode-se dizer que os consumidores querem uma experiência omnichannel, na qual as coisas são mais simples do que nunca e em que os serviços e produtos chegam o mais rápido possível.

Assim, 65% dos consumidores dizem querer níveis de serviço consistentes entre todos os canais em que as empresas atuam (físicas e digitais), 55% que o fluxo de informação entre  os diferentes canais não tenham atritos, outro 55% que respondam em tempo real em qualquer canal que eles usarem para se contactar com a empresa, 49% podem conversar ao vivo com um representante da empresa e 48% que as mesmas deem suporte personalizado.

Como pode-se ver, é um mundo completamente novo para todas as empresas em todos os níveis, a internet somada ao Big Data, fez com que todos os clientes desejam o que antes era possível somente no barzinho, mercadinho ou padaria do bairro. Diferente do que muito se pensava, que a internet iria distanciar as pessoas, que as coisas seriam ainda mais automáticas, enganam-se pois a tendencia e o desejo dos consumidores mostra o contrário disso.

 Informações de marketing que podem salvá-los

Os consumidores estão mais exigentes do que nunca com as empresas e esperam cada vez mais delas e das suas intenções com eles, embora muitos desses pontos não sejam apenas exigências, mas também complicado de se realizar.

O que se poderia dizer, no entanto, é que tudo isso tem algo em comum, para fazer tudo o que os consumidores querem e procuram, devemos usar um tipo de informação que já temos – ou deveríamos ter – no departamento de marketing. Todos essas exigências podem ser previstas no Big Data, nas informações que sua empresa tem e atualmente usam somente para fazer lindas e boas propagandas. São informações acumuladas de anos, e que contem o histórico de comportamento dos seus consumidores, podendo mostrar para você o caminho ideal para conquistar a confiança e lealdade deles.

Portanto, as empresas precisam ser capazes de converter esse fluxo de dados e essas conclusões não apenas em algo importante para sua estratégia de comunicação,  mas em algum tipo de dado sobre seus consumidores, uma fonte de conhecimento que essas empresas usarão em muitos departamentos, quando estivermos nesse ponto significa que já teremos ultrapassado a barreira do Big Data, e estaremos trabalhando lado a lado com a Inteligência Artificial.

Por Jorge Cavalcante power by: Time Primer


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *